Fazer um arranha-céu verde como o Bosco Verticale não foi tão simples quanto preencher alguns potes de plantas com ervas e colocá-las na varanda. Você vai descobrir uma forma inteligente para criação de uma floresta vertical.

Bosque Vertical

Não é segredo que os arquitetos estão cada vez mais procurando maneiras de construir edifícios mais ecológicos. Como todos sabemos, as cidades contribuem para 70% das emissões de CO2. O prefeito de Londres prometeu transformar Londres na primeira National Park City do mundo cobrindo mais de 50% de Londres em vegetação até 2050 (London Environment Strategy).

Image credit: Josef Grunig

Mas, em Milão, na Itália, eles parecem ter adotado essa idéia literalmente. Com o Bosco Verticale (o que significa, muito apropriadamente: Floresta Vertical), o Boeri Studio estabeleceu o precedente na vegetação urbana. Concluído em 2014, está agora estabelecido e em plena floração.

A combinação de uma sofisticada seleção de plantas, a implantação de vegetação em todas as orientações, um projeto estrutural para acomodar as plantas, e os sistemas de manutenção, segurança e irrigação, representa um dos mais inovadores projetos de edifícios altos na memória recente.

– The Council on Tall Buildings and Urban Habitat

Construção

O projeto é composto por duas torres residenciais. Torre E: 110 m, 27 pavimentos e Torre D: 76 m de altura, 18 pavimentos. Ainda curioso sobre o que aconteceu com torres A - C… Tem um total de 113 apartamentos, para um número estimado em 480 residentes.

Crédito da imagem: Stefano Boeri Arquitetos

Apesar de suas credenciais ecológicas e certificação Gold LEED, a estrutura é totalmente feita de concreto armado. A torre E é sustentada por 13 pilares retangulares de 80 x 120cm ao redor do perímetro com o eixo central ao lado norte da torre, permitindo a incidência máxima da luz do sol. O layout da varanda varia entre os andares e o layout se repete a cada 6 pavimentos.

As sacadas são feitas de um piso de concreto protendido, em cantilever, com 28 centímetros de espessura. Estes suportam o peso e, mais importante, a força do vento que as árvores aplicam ao edifício. Foram testados modelos em escala e árvores em tamanho real em um túnel de vento. Até mesmo o tipo de solo teve que ser cuidadosamente selecionado para peso e retenção de umidade.

Cobrindo as torres estão mais de 800 árvores, 4.500 arbustos e 15.000 plantas, o que equivale a cerca de 7.000 m2 de floresta. A aparência geral é um pouco semelhante a Ivry-sur-Seine, em Paris, no entanto este tem um toque mais atual.

As plantas

Diferentes plantas foram selecionadas para cada fachada do edifício com base na quantidade de luz solar que receberiam. Qualquer um com um jardim ou varanda virado para o norte (no Brasil, o sul) vai entender o tamanho do desafio para encontrar uma planta que seja feliz na sombra quase sempre, pode bem imaginar!

Crédito da imagem: Stefano Boeri Arquitetos

Um modelo em escala 1: 100 foi testado no túnel de vento do Instituto Politécnico de Milão para ajudar a calcular o centro de gravidade e o efeito das forças a que o prédio estaria submetido, mesmo sob forças extremas do vento. Testes em larga escala de árvores foram realizados no túnel “Wall of Wind” na Universidade Internacional da Flórida. Nos níveis mais altos, as plantas estariam sob os fatores elementares mais extremos, então esse fator também foi levado em consideração.

A capacidade das plantas lidarem com o crescimento em ambientes de solo rasos e artificiais foi outra consideração importante. Antes de serem içadas ao local por guindaste, as plantas foram cultivadas para se acostumarem às condições que encontrariam na torre. A preparação demorou mais de dois anos, trabalhando com um grupo de botânicos, para finalizar tudo.

Crédito da imagem: Stefano Boeri Arquitetos

A água era outra consideração importante. A irrigação da água em todo o edifício teve que ser cuidadosamente calculada, dado que o edifício requer um incrível consumo de 3.500 m3/ano.

Toda a vegetação pertence e é mantida pelo condomínio, que faz a gerência do prédio, e não pelos proprietários individuais dos apartamentos. Os residentes não podem manter as próprias plantas. Boas notícias para os moradores que não têm dedos verdes. A manutenção ocorre a partir da varanda 3-6 vezes por ano e duas vezes por ano a partir de um braço telescópico no topo do telhado de cada torre.

Os benefícios

As plantas proporcionam aos moradores benefícios para a saúde, produzindo umidade, absorvendo CO2, filtrando partículas de poeira e produzindo oxigênio. Os benefícios também têm um efeito mental positivo sobre os residentes e oferecem uma sensação rara de privacidade em um ambiente urbano.

Talvez o mais surpreendente seja que o edifício mude de cor ao longo das estações. No inverno, as folhas caem das árvores e permitem que a luz do sol alcance os interiores do edifício, enquanto durante o verão elas ajudam a manter o interior fresco. Então não é apenas um prédio verde.

Os edifícios não beneficiam apenas os moradores, mas à cidade e a área circundante como um todo. Bosco Verticale reduz os poluentes no ar e reduz o efeito Estufa Urbano (uma “bolha” de calor e pressão do ar criada pela cidade densamente povoada). O efeito Estufa Urbano pode ser significativo no ambiente em torno de uma cidade, causando frequentemente níveis aumentados de chuva na direção do vento de uma cidade e até mesmo tornados fracos. Também pode causar água mais quente à jusante, com impacto prejudicial no ambiente local.

O Que vem adiante?

A empresa tem mais espaços verdes na lista de projetos. Liuzhou cidade florestal, Liuzhou, na China, cobrirá uma surpreendente área de 138,5 ha. A permissão de planejamento foi aprovada em 2017. Ela será construída ao norte de Liuzhou na região montanhosa de Guangxi e terá conexão por meio de um trem de alta velocidade, 2 escolas e um hospital.

Crédito da imagem: Stefano Boeri Arquitetos

Números ambiciosos são citados. A sub-cidade vai abrigar cerca de 30.000 pessoas e poderá absorver quase 10.000 toneladas de CO2 e 57 toneladas de poluentes por ano, enquanto produz cerca de 900 toneladas de oxigênio. Fará tudo isso com a ajuda de mais de 100 espécies com cerca de 40.000 árvores, e mais 1 milhão de plantas. Energia geotérmica será usada, e painéis solares cobrirão os telhados.

Projete seus próprios jardins verticais

Fácil de experimentar, fácil de comprar, fácil de manter. Isso é o BricsCAD. Experimente todos os nossos produtos, por 30 dias grátis para www.bricsys.com/pt-br/. Liberdade de escolha, além de licenças perpétuas (permanentes) de produtos que funcionam em todos os idiomas, em todos os lugares. Você vai apreciar o que criamos para você com a família de produtos BricsCAD9.


Resumo:

Bosco Verticale (Floresta Vertical), o Boeri Studio foi concluído em 2014. Existem mais de 800 árvores, 4.500 arbustos e 15.000 plantas, equivalentes a cerca de 7000 m2 no solo. Reduz os poluentes no ar e reduz o efeito Urban Heat Island. Boeri Studio planeja fazer a cidade da floresta de Liuzhou, Liuzhou, China a seguir. Cobrirá uma área de 138,5 ha. A permissão de planejamento foi aprovada em 2017. Será construída ao norte de Liuzhou, na região montanhosa de Guangxi.


Ref:

Avaliando a Vegetação de Altura-Elevada do Bosco Verticale, Milão Elena Giacomello & Massimo Valagussa, do Conselho de Edifícios Altos e Habitat Urbano - https://store.ctbuh.org/index.php?controller=attachment&id_attachment=32, accessado em Março de 2019.

Stefano Boerirchiettie Studios https://www.stefanoboeriarchitetti.net/project/bosco-verticale/